Bom povo português (Rui Simões, 1981) DVDRip VOSE

Espacio destinado a enlaces de obras cinematográficas de caracter documental.
Responder
Avatar de Usuario
srjaime
Mensajes: 166
Registrado: Vie 25 Jun, 2004 02:00

Bom povo português (Rui Simões, 1981) DVDRip VOSE

Mensaje por srjaime » Dom 14 Jul, 2013 16:03

.
Imagen

IMDb-Filmaffinity

Duración: 135 min.
País: Portugal
Director: Rui Simões
Guión: Rui Simões, Teresa Sá
Música: José Pedro Caiado, Tó-Zé da Fonseca Mendes, Eduardo Pais Mamede, Luís Martins Saraiva
Fotografía: Manuel Barros, Mário Cabrita Gil, José Luís Carvalhosa, Gerard Collet, Acácio de Almeida, Russell Parker, Jose Reynes
Sinopsis: Usando películas e imágenes de televisión tomadas durante el movimiento revolucionario del 25 de abril de 1974 en Portugal, y mezclándolo con la música y entrevistas en directo de la gente común, el director transmite un relato vívido de una época en la que un golpe militar evolucionó en una revolución socialista, que acabó en una democracia de estilo europeo. (FILMAFFINITY)
Portugal entre dois momentos históricos cruciais. O PREC: entre o dia 25 de Abril de 1974 e o dia 25 de Novembro de 1975.

A Revolução dos Cravos e o Primeiro Governo Provisório. As manifestações do PS e do PCP. António de Spínola e o «bom povo». O direito à greve. Camponeses e operários, os campos e as fábricas. Vasco Gonçalves, as coligações políticas e o MFA. Mário Soares perante a contaminação fascista da administração pública. Álvaro Cunhal e o Portugal democrático e independente. Os actos de repressão pela GNR, as manifestações pela descolonização. A radicalização da vida política: o 28 de Setembro, o 11 de Março, o caso Torrebela. As ocupações de prédios abandonados, a Reforma Agrária, o Norte e o Centro, Os Três Efes: Fátima, Futebol e Fado. Os retornados. Os avanços da social-democracia. Os casos do jornal República e da Rádio Renascença Os recuos do PS na revolução democrática. Os ataques a sedes dos partidos de esquerda. A Santa da Ladeira, a prisão de Otelo Saraiva de Carvalho e a entrada em cena de Ramalho Eanes.
Wikipedia
Imagen
Imagen
Imagen
“De algum modo, Bom Povo Português, é o requiem, o luto da Revolução, um último olhar, já fantasmagórico mas ainda não cínico, sobre o enorme grito e movimento que nos atravessou de Abril a Novembro”.

Rui Simões começou a rodar esta película em 1977. Três anos depois foi finalizado o filme que marcou definitivamente a história dos documentários do período revolucionário: Bom Povo Português. Este documentário, onde «o sonho perdido tornou-se uma referência mitológica», é um filme impulsionado por uma única mola: a indignação. Para Eduardo Prado Coelho, se, de um lado, existem os «momentos míticos do 25 de Abril, filmados em câmara lenta», do outro passa a «estridencia desagradável (a música contribui para isso) da realidade política em que o 25 de Abril desemboca». Segundo o mesmo autor, existe uma dialéctica representativa de acções:«de um lado, o povo, com os seus lamentos, os seus gestos exaltados, os seus cantos», e, do doutro, «os documentos do poder. O filme é, acima de tudo, uma imagem dessa irredutibilidade».

Rui Simões assume o comprometimento da equipa que rodou o documentário com o próprio processo revolucionário:
«O filme procura traçar a história entre o 25 de Abril de 1974 e 25 de Novembro de 1975, tal como ela foi sentida pela equipa que, ao longo deste processo, foi ao mesmo tempo espectador, actor, participante, mas que, sobretudo, se encontrava totalmente comprometida com o processo revolucionário em curso».

Comprometimento, participação, duas palavras assumidas pelo realizador e restante equipa que concretizaram aquele que é, provavelmente, o documentário mais completo sobre a revolução dos cravos. Assume-se a subjectividade da acção, a parcialidade das imagens e da narração. «Deus, Pátria, Autoridade, era talvez um filme conscientemente preso no ideológico. Bom Povo Português vai entender o 25 de Abril, em dois níveis convergentes, o da poesia e o da antropologia».
Para Jorge Leitão Ramos, o olhar sobre os acontecimentos que atravessaram o período revolucionário entre Abril de 74 e Novembro de 75, situa-se no interior dos acontecimentos, «não como simples testemunha, mas como companheiro». Para Ramos, a acção magoada do filme «ousa olhar de perto as feridas e as perplexidades», não usando um discurso analítico que trouxesse explicações, «no sentido de descobrir factos que lhe permitissem arquitectar teorias:
«Não demasiado perto, ainda não suficientemente longe dos anos da Revolução, racional e emotivamente, este é um filme cheio de dúvidas salutares, um bom pretexto para pensar o tempo que fizemos. Encerrar uma porta sem cadáveres no armário ou na consciência. Para partir, de novo.»

O registo de Bom Povo Português, manter-se-á poético até ao fim. Contestatário, quando o momento o impõe, didáctico, quando se propõe explicar as acções. Todavia, este documentário é, acima de tudo, uma reflexão poética sobre a história, oferecendo novas leituras, assumindo a subjectividade da análise, do pensamento, da acção do homem, enfim, do 25 de Abril.

“Rui Simões em Bom Povo Português soube respeitar a objectividade da história e ao mesmo tempo indagar sobre o espaço criativo da subjectividade individual e colectiva. No trabalho sobre as imagens e os sons, os documentos e as reportagens, do período entre o 25 de Abril e o 25 de Novembro, o filme surpreende quando nos mostra a imagem mais repressiva dos acontecimentos que vivemos ou nos descobre novas leituras decompondo as relações entre imagens, ou entre as imagens e sons, ou seu ritmo, sem contudo se deixar descolar do contexto histórico. Bom Povo Português é assim, sem deixar de ser político, essencialmente um filme poético, o que o próprio texto vai sublinhar. Por isso também, o filme como reportagem se aproxima do povo da sua verdadeira imagem, dos seus verdadeiros rostos e dos ritos tornados verdadeiramente seus, e não do povo mitificado que o discurso político com enganadora facilidade incorpora.”

Bom Povo Português é um filme de poesia. Da poesia de um povo errante que não sabe fechar o passado nem construir o futuro. Há pouco encanto, muito mais desencanto, nomeadamente, quando a revolução caminha, a passos rápidos, para o fim. É um documentário sobre um país que tem vivido, há centenas de anos, «em estado de projecto», em constantes contradições, em gestos resignados, em sonhos que não se conseguiram agarrar. Para Prado Coelho, dado o ponto de vista de esquerda em se coloca o seu autor, «o objecto do seu filme era, na realidade, uma derrota – bem sublinha, aliás, pela excelente ideia final de colocar Otelo, o derrotado, a ver na televisão a imagem de Eanes, o vencedor»

«Rui Simões faz, com Bom Povo Português, não só uma viagem ao período revolucionário desses anos, como, sobretudo, um canto longo e triste às esperanças, sonhos e falhanços então vividos. Pode dizer-se que, com ele, terminaram os ‘filmes de Abril».

Bom Povo Português é um documentário cheio de vozes e imagens profundamente desencantadas. Mas, mais do que isso, são as interrogações, as metáforas, os movimentos colectivos, as crenças populares, os momentos em que tudo poderia mudar, a dúvida do futuro que atravessam o filme. Bom Povo Portuguêsé, provavelmente, o mais completo filme sobre o processo revolucionário e a Revolução Portuguesa, onde as incertezas são muito mais do que as certezas e onde tanto o texto como a voz do narrador, José Mário Branco, aparecem sob a forma poética de uma reflexão comprometida e desalentada com o rumo dos acontecimentos e, sobretudo, com um destino incerto de um povo que está sempre por cumprir. Apetece voltar a dizer: «É preciso que tudo mude para que tudo fique na mesma».

«Depois de viver o que vivemos em Portugal e também por olhar com uma certa distanciação pelo facto de ter estado ausente quase dez anos, fez com que lutasse para fazer um filme onde mostro a possibilidade de haver encanto mas com a certeza precoce do desencanto. Quando começo a montar o Bom Povo Português já era difícil acreditar em revoluções deste tipo».

Bom Povo Português estreou em Lisboa e Porto e teve uma carreira comercial conturbada. Logo ao fim das três primeiras semanas de projecção em Lisboa, numa das salas Quarteto com sessões lotadas, é boicotado pela exibidor que se recusa a continuar a exibir o filme apesar das receitas. «É um filme vítima da censura moderna, da censura das democracias. No entanto, faz uma carreira internacional nos principais festivais assim como ganha prémios e recebe o aplauso da crítica nacional e internacional».

O filme foi distribuído comercialmente no Brasil, onde também passa na televisão, estreia comercialmente nos EUA no circuito das universidades, acompanhado pelo próprio Rui Simões que organiza «workshops» e debates com o público.

Pedro Neves de Carvalho Santos.
Fragmentos de “A intervenção da imagem: encanto e desencanto dos documentaristas da Revolução de Abril (1974-1980)”

Documento del Cine Clube de Compostela
Imagen
Imagen
Imagen

El documental está montado a partir de filmaciones en 16mm inchadas a 35mm, por lo que presenta mucho grano. He tenido que filtrarlo un poco para conseguir un tamaño aceptable en relación a la fuente. Dejo unas comparativas.

Código: Seleccionar todo

General 
UniqueID/String : 246537237974652343885496362992090321364 (0xB979584B828C7B56826FC6D9E04591D4) 
Nombre completo : J:\bom\bom.povo.português.1981.dvdrip.x264.ac3-[bunker].mkv 
Formato : Matroska 
Formato de la versión : Version 2 
Tamaño del archivo : 2,63GIB 
Duración : 2h 6min. 
Tasa de bits total : 2 973Kbps 
Fecha de codificación : UTC 2013-07-13 05:08:18 
Aplicación de codifición : mkvmerge v5.8.0 ('No Sleep / Pillow') built on Sep 2 2012 15:37:04 
Librería de codificación : libebml v1.2.3 + libmatroska v1.3.0 

Video 
ID : 1 
Formato : AVC 
Formato/Info : Advanced Video Codec 
Formato del perfil : High@L4.1 
Ajustes del formato, CABAC : Si 
Ajustes del formato, RefFrames : 5marcos 
ID Códec : V_MPEG4/ISO/AVC 
Duración : 2h 6min. 
Tasa de bits : 2 818Kbps 
Ancho : 712pixeles 
Alto : 572pixeles 
Relación de aspecto : 4:3 
DisplayAspectRatio_Original/String : 4:3 
Modo de velocidad de cuadro : Constante 
Velocidad de cuadro : 25,000fps 
ColorSpace : YUV 
ChromaSubsampling : 4:2:0 
BitDepth/String : 8bits 
Tipo de exploración : Progresivo 
Bits/(Pixel*cuadro) : 0.277 
Tamaño de pista : 2,49GIB (95%) 
Librería de codificación : x264 core 128 r2216 198a7ea 
Opciones de codificación : cabac=1 / ref=5 / deblock=1:-1:-1 / analyse=0x3:0x113 / me=umh / subme=8 / psy=1 / psy_rd=1.00:0.15 / mixed_ref=1 / me_range=16 / chroma_me=0 / trellis=1 / 8x8dct=1 / cqm=0 / deadzone=21,11 / fast_pskip=1 / chroma_qp_offset=-3 / threads=3 / lookahead_threads=1 / sliced_threads=0 / nr=0 / decimate=1 / interlaced=0 / bluray_compat=0 / constrained_intra=0 / bframes=3 / b_pyramid=2 / b_adapt=2 / b_bias=0 / direct=3 / weightb=1 / open_gop=0 / weightp=2 / keyint=250 / keyint_min=25 / scenecut=40 / intra_refresh=0 / rc_lookahead=50 / rc=crf / mbtree=1 / crf=21.0 / qcomp=0.60 / qpmin=0 / qpmax=69 / qpstep=4 / ip_ratio=1.40 / aq=1:1.00 
Idioma : Portugués 
Default : Si 
Forced : No 

Audio 
ID : 2 
Formato : AC-3 
Formato/Info : Audio Coding 3 
Format_Settings_ModeExtension : CM (complete main) 
Ajustes del formato, Endianness : Big 
ID Códec : A_AC3 
Duración : 2h 6min. 
Tipo de tasa de bits : Constante 
Tasa de bits : 96,0Kbps 
Canal(es) : 2canales 
Posiciones del canal : Front: L R 
Velocidad de muestreo : 48,0KHz 
BitDepth/String : 16bits 
Tamaño de pista : 86,9MB (3%) 
Idioma : Portugués 
Default : Si 
Forced : No 

Imagen
Imagen
Imagen
Imagen


ed2k linkbom.povo.portugu%C3%AAs.1981.dvdrip.x264.ac3-(bunker).mkv ed2k link stats

Los subtítulos en español han sido traducidos por Zalinho y proporcionados por -V- Gracias a ambos. :plas:

ed2k linkbom.povo.portugu%C3%AAs.1981.esp.srt ed2k link stats

Subtítulos en DD

Avatar de Usuario
sumidoiro
En busca de la buena distancia
Mensajes: 323
Registrado: Vie 18 May, 2007 20:49
Ubicación: Quebranto (pasaba por aquí...)

Re: Bom povo português (Rui Simões, 1981) DVDRip VOSE

Mensaje por sumidoiro » Jue 18 Jul, 2013 21:18

Muchas gracias.

Saúdos.

Avatar de Usuario
botibol
Dum Dum
Mensajes: 2130
Registrado: Vie 28 Ene, 2005 01:00

Re: Bom povo português (Rui Simões, 1981) DVDRip VOSE

Mensaje por botibol » Vie 02 Ago, 2013 10:52

Esta le va a gustar a mi padre, que la revolución portuguesa es una de sus obsesiones y le pilló por allí.

¡Muchas gracias!

kokolfedo
Mensajes: 43
Registrado: Dom 07 Oct, 2012 11:25

Re: Bom povo português (Rui Simões, 1981) DVDRip VOSE

Mensaje por kokolfedo » Mié 07 Ago, 2013 09:06

A mí tambiénb me gusta. Gracias!

Avatar de Usuario
Paul Atreides
Mensajes: 12
Registrado: Dom 14 Mar, 2010 22:45
Ubicación: ESPAÑA

Re: Bom povo português (Rui Simões, 1981) DVDRip VOSE

Mensaje por Paul Atreides » Mié 11 Sep, 2013 18:33

Tiene buena pinta, lo voy a descargar

nmrs
Mensajes: 1
Registrado: Lun 13 Sep, 2010 14:15

Re: Bom povo português (Rui Simões, 1981) DVDRip VOSE

Mensaje por nmrs » Lun 22 Mar, 2021 12:54

Muchas gracias.

Responder